Mitos e verdades sobre as unhas

 

Olá meninas, tudo bem?

Alguns dias atrás eu estava lendo matérias  na internet quando li um texto no Uol falando dos mitos e verdades sobre as unhas, achei super interessante, porque abordava todas as nossas dúvidas como viciadas em esmaltes e que está sempre esmaltando as unhas, além dá respostas com base especializada. Achei tão bacana e de extrema importância para vocês, que resolvi postar aqui no blog.

Segue a matéria na integra


Esmaltes mais escuros fazem a unha crescer mais rápido.

MITO. Segundo Jardis Volpe, médico especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia, não há nenhuma lógica nisso, pois o que faz a unha crescer é o próprio processo de regeneração da lâmina ungueal (a parte dura da unha), e os esmaltes não fornecem as vitaminas necessárias para isso.

Manchas brancas na unha indicam falta de cálcio.

MITO. “Manchas brancas na unha podem ser, sobretudo, um trauma”, explica Volpe. “Quando a pessoa bate a matriz da unha [a raiz], ela pode crescer com falha ou manchas”. O dermatologista também alerta que a mancha pode ser sinal de alguma doença, como a psoríase. Já a falta de vitamina em geral provoca unhas quebradiças e lentidão no crescimento.

Esmalte preto deixa a unha mais amarelada.

PARCIALMENTE VERDADE. O esmalte não penetra e não tinge a lâmina ungueal, poque a unha não apresenta porosidade para que isso aconteça. Mas, alguns tons de esmaltes escuros podem tingir a unha com o uso frequente. A recomendação é alternar tons mais claros com tons mais escuros, explica o dermatologista.

É preciso deixar a unha sem esmalte por um tempo para ela ‘respirar’.

PARCIALMENTE VERDADE. Quem apresenta problema de infecção de fungos (micose) na unha deve evitar passar esmalte durante o tratamento, diz o dermatologista Jardis Volpe. Mas, quem tem as unhas saudáveis não precisa se preocupar em deixá-las sem esmalte.

Retirar sempre a cutícula faz com que ela suma.

MITO. O ato de retirar a cutícula não às faz sumir. A pele que cresce em volta das lâminas ungueais nasce normalmente mesmo se retirada toda semana, esclarece o dermatologista.

Retirar a cutícula antes dos 10 anos de idade faz mal para a saúde.

VERDADE. Segundo o Volpe, não é recomendado retirar a cutícula em nenhuma idade. “A cutícula é uma proteção natural do organismo que evita infecção da pele ao redor da unha e da própria matriz por fungos, bactérias e vírus”, diz.

É possível pegar doenças fazendo a unha.

VERDADE. De acordo com a infectologista Raquel Stucchi, da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, é possível pegar micoses, infecções nas cutículas, doenças bacterianas e doenças virais (como hepatite B, hepatite C e HIV) fazendo as unhas. Para prevenir-se, é importante esterilizar de maneira adequada os equipamentos utilizados. O alicate, a espátula e a lixa de metal devem ser lavados com água e sabão, com a ajuda de uma escovinha para retirar a sujeira, antes de serem colocados na estufa e na autoclave (máquinas que submetem os instrumentos a altas temperaturas). “O ideal é que cada um leve o seu próprio kit de instrumentos quando for fazer a unha”, recomenda a médica.

Unha encravada é genética.

MITO. Segundo o dermatologista Jardis Volpe, a unha encravada acontece principalmente por dois motivos: usar sapatos com bicos muito finos, que acabam apertando o dedo do pé e a unha, ou cortar a unha de forma irregular.

Passar base antes do esmalte protege a unha.

PARCIALMENTE VERDADE. Algumas bases têm componentes hidratantes que acabam fazendo bem para a lâmina ungueal. Outras possuem ativos fortalecedores que beneficiam unhas fracas. “Passar o esmalte direto na unha não faz mal, mas se a pessoa tem uma unha fraca e ressacada, essas bases podem ajudar”, conta o dermatologista.

Unha escamada é sinal de baixa imunidade.

PARCIALMENTE VERDADE. De acordo com a infectologista Stucchi, a escamação da unha pode acontecer por diversos motivos, entre eles má alimentação e algumas doenças.

Unha fraca pode ser sinal de alguma doença.

VERDADE. “Uma das coisas mais comuns que vemos nos consultórios, são pacientes com unhas fracas e quebradiças”, conta Volpe. “Na maioria das vezes, pode ser uma deficiência nutricional, de alguma vitamina do complexo B, por exemplo, ou hipotireoidismo. Esta doença é caracterizada pelas unhas e cabelos enfraquecidos”.

Acetona ou removedor de esmalte enfraquece a unha.

MITO. A acetona ou o removedor de esmaltes não enfraquecem as unhas, mas as desidratam, por isso elas adquirem um aspecto esbranquiçado logo após serem submetidas ao produto. O dermatologista Jardis Volpe indica passar um creme hidratante para as unhas logo após o uso do removedor.

Manter o mesmo esmalte na unha por muito tempo pode ser prejudicial.

PARCIALMENTE VERDADE. Para quem tem unha fraca e quebradiça, usar esmalte por muito tempo pode ser prejudicial. Para durarem mais nas mãos, os produtos apostam em uma química mais forte, que agrava o problema, explica o dermatologista. Mas, quem tem a unha saudável não precisa se preocupar.

As unhas crescem de forma igual.

PARCIALMENTE VERDADE. Segundo Volpe, de maneira geral, todas as unhas crescem da maneira homogênea, mas as unhas das mãos crescem duas vezes mais rápido que as dos pés.

Comer unha pode enfraquecê-la.

MITO. Roer a unha não a faz ficar mais fraca, pois seria como cortá-la usando os dentes. O perigo está na possibilidade de doenças, já que sujeiras e bactérias podem se acumular em baixo das lâminas, alerta o dermatologista.

Unha é célula morta.

MITO. De acordo com Volpe, a unha é composta por vários elementos. A lâmina (a parte visível) é formada por queratina, que é uma proteína. Já as células ficam logo após as cutículas, na matriz da unha.

Unha de homem é mais forte do que de mulher.

VERDADE. A unha do homem tende a ser mais grossa, mas não se sabe o motivo exato, diz Volpe.

Depois que a unha cai, ela fica mais fraca.

MITO. Depois de um trauma, dependendo de como for, a matriz pode ter tido uma lesão que faz a unha crescer defeituosa e irregular, mas não fraca. “Dependendo do trauma, se ele for irreversível, ela [a unha] vai nascer torta”, explica Volpe.

Fazer a unha com frequência faz bem à saúde.

PARCIALMENTE VERDADE. Lavar as mãos com água e sabão, evitar tirar cutícula e esmaltar ajudam a evitar que a sujeira se acumule debaixo das unhas. É isso que transmite doenças, já que levamos a mão constantemente à boca e aos olhos. Mas, segundo Stucchi, ir à manicure não é um ato de higienização. “É algo puramente estético e supérfluo”.

Alergia ao esmalte pode dar coceira nos olhos.

VERDADE. O primeiro sinal de alergia ao esmalte é a coceira na pálpebra, conta Volpe, já que as pessoas levam muito a mão até a área dos olhos sem perceber. “O esmalte pode entrar em contato com aquela pele e causar uma dermatite de contato”, diz. Caso isso ocorra, o médico indica que a pessoa deixe de usar o produto por duas semanas e, depois, volte a usar um produto hipoalergênico. Caso não melhore, a pessoa deve procurar um dermatologista.


Muito bom, não é mesmo?  Tudo que foi dito faz com que nos atentemos um pouco mais e paramos de ficar só no achismo, os cuidados com as unhas são necessários!

Link da matéria: Uol Saúde

Foto retirada da internet*

Ágatha Alves

Ágatha Alves

Jornalista por formação, 24 anos, leonina, cacheada com muito orgulho e paulistana. Cultiva um amor incondicional por esmaltes e algumas coisinhas a mais.

More Posts - Website - Twitter - Facebook

0
2 Comments
  • Carolina Machado
    setembro 2, 2015

    heeeeeeeeeeeeey,
    eu gostei muito da matéria e quero me aprofundar em alguns pontos.
    Outra coisa, adoreeeeeeeeei teu blog menina, bem legal. Voltarei mais vezes haha’
    bjbj

    • Ágatha Alves
      setembro 2, 2015

      Oie florzinha!
      Muuuito obrigado, fico muito feliz que tenha gostado.
      Seja bem-vinda sempre, ficarei honrada de ver vc sempre por aqui.

      Beijão <3

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: