A Nail Art vive um novo momento

Oie Maricotas!

Que estamos vivendo um novo momento no mundo das unhas, da nail art, isso é fato! Vemos laçamentos e mais lançamentos de esmaltes e principalmente da Nail art. Estão pensando cada vez mais e de forma intensa nas cores, nomes, linha de pesquisa e de público alvo. Há tendências surgindo aqui no Brasil e também aquelas que importamos de fora e faz o maior sucesso por aqui.

Garimpando pela internet, encontrei um texto super bacana no site da Beauty Fair escrito pela Catarina Arimatéia, e resolvi postá-lo por aqui.

Segue o texto e a entrevista!

Você sabia que há 5.000 anos antes de Cristo o povo da Mesopotâmia, no Oriente Médio, já dava uma atenção especial às unhas? Nada parecido com nossa nail art, claro, que a cada ano ganha novas adeptas e se beneficia de técnicas mais elaboradas.

Para ficar por dentro desse incrível e criativo mundo dos desenhos em unhas, acompanhe nosso bate p0cd21826a89064d106d82f5c3210a4e9apo com a expert Conceição Pimentel, consultora técnica da Esmalteria Nacional. Ela fala sobre tendências, diferenças de gostos entre as brasileiras, especialização de profissionais e o momento vivido pela nail art no País. E confira também dois trabalhos que ela criou para o verão e o Carnaval, para a Esmalteria Nacional.

Beauty Fair – Há quem diga que a nail art não está mais com a força que tinha anteriormente. Qual é a sua opinião?
Conceição Pimentel – No Brasil, acredito que não vamos deixar a nail art de lado. O que acontece, do meu ponto de vista, é que artes muito extravagantes e exageradas não caem no gosto de todos os perfis femininos das brasileiras. Mas as mais delicadas e “limpas” devem permanecer fortes. Por exemplo, a inglesinha com cores neutras, os arabescos, as artes geométricas…

BF – Para 2016, como você acha que serão os desenhos de nail art?
CP – Eu acredito que os desenhos de nail art serão mais clean e elegantes. Os desenhos feitos com pincel, com criatividade e com desenvoltura profissional substituirão as artes aplicáveis, como as películas e os adesivos. Os adereços de metal já estão por aí apaixonando corações.

BF – O que mudou na nail art nos últimos meses?
CP – A nail art trouxe a afirmação da personalidade em cada mulher. A partir do modelo escolhido, das cores e dos adereços, temos uma leitura de comportamento e de atitudes particulares, que antes ficavam velados apenas na cor do esmalte. Já as mudanças aconteceram nas técnicas, ou seja, no aprimoramento das técnicas de desenvolver o design nas unhas.


BF – Continuamos seguindo tendências internacionais ou temos uma identidade própria?

CP – Nesse mercado de unhas, as tendências internacionais dominam o mercado brasileiro, pois temos um espaço de tempo em atraso, em relação aos demais países. As unhas alongadas artificialmente, por exemplo, existem há muito tempo, porém só de cinco anos para cá é que começaram a chegar no Brasil mais informações, cursos e produtos.

unhas_com_pedrinhas_lindas_5305bd94d2c2dc9470affffab65f51e9_unhas com pedrinhas lindas

BF – Como está a nail art no país?
CP – Está ganhando o coração das mulheres de atitude, daquelas que gostam de se mostrar e de marcar presença. Muitas clientes não procuram mais apenas a esmaltação comum. As mulheres têm desejado ficar e aparecer diferente nos círculos de amizade.

BF – Quando o assunto é nail art, a brasileira é mais conservadora ou ela gosta de ousar? E há diferença de perfis entre os Estados brasileiros?
CP – A mulher brasileira gosta de ousar. Às vezes, o que a impede é a função que ela exerce em seu trabalho. Quanto aos perfis femininos por Estado, sim, há diferenças. As mulheres do Norte e Nordeste são mais ousadas e amam fazer unhas com pintura de flores. As cariocas adoram unhas longas e com brilho. Mas na região Sudeste predomina o “clean”, as nails mais delicadas, sem extravagâncias.

BF – Em geral, as profissionais brasileiras já estão mais preparadas para fazer nail art? Ou falta especialização?
CP – As profissionais brasileiras estão buscando especialização, pois ainda há certa falta de domínio de algumas técnicas, principalmente pela escassez de profissionais educadoras que ensinem a técnica correta. Muitos salões de beleza, que têm serviço de cabelo, não demonstram preocupação em investir na profissional das unhas, pois o foco total é no cabeleireiro. E quem trabalha nesse ambiente acaba se acomodando ao método tradicional de fazer unhas. Por se sentirem desvalorizadas, muitas manicures resolveram se capacitar e evadiram para um espaço especializado nos serviços das unhas, as esmalterias. Hoje existem profissionais capacitadas e prepunhas-diferentes-para-noivas1aradas, pois nesse espaço, criado para manicures, elas podem usar de sua criatividade num local que é só delas.

BF – As clientes da Esmalteria Nacional procuram bastante a nail art ou preferem esmaltação básica?
CP – A esmaltação básica está perdendo adeptos. As clientes que procuram a Esmalteria Nacional desejam um ambiente agradável para relaxar e fazer
unhas com profissionais atualizadas em tendências de moda. Esta cliente deseja sair de nossas lojas com uma unha incrível e única, e a nail art escolhida vai proporcionar uma sensação de estar diferente das demais mulheres de seu meio social.

Muito bacana essa entrevista, não é mesmo? Espero que tenham gostado

Beijão ♥

Fotos: Divulgação retiradas do Google Imagens

Fonte: Beauty Fair

Ágatha Alves

Ágatha Alves

Jornalista por formação, 24 anos, leonina, cacheada com muito orgulho e paulistana. Cultiva um amor incondicional por esmaltes e algumas coisinhas a mais.

More Posts - Website - Twitter - Facebook

0

No Comments Yet.

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: